conto-te agora

 

nas artérias um caminho
de cidade pequena.
talvez me vista de suor
que reluta em explicar-se
sem ser em alegria,
como se fosse a primavera
numa aproximação de desígnio
que a cada coisa dá um valor
sem preço, ou como um jardim
num indício de alvorada límpida.

 

Anúncios

Deixar uma resposta e/ou comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s