sabes como é a vida…

 
a ria, que por amor beija o mar
e para laguna deixar de ser,
também reflecte a cidade em si,
num abraço de vida e afecto.
eu, que beijo o ar,
por determinação e princípios,
possuo fortalezas de convicções
que se desmoronam quando chegas…
que posso eu dizer, agora, a saudade?
 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em #poetar com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixar uma resposta e/ou comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s