mais coisa, menos coisa

 

há tempo para umas palavras
que se evadiram da poesia
e que se perderam pela tarde,
repartindo silêncios pelos olhos,
lugares imensos que se expõem
nas minhas mãos repletas de longe.
longe nem sempre é a distância,
pode ser a circunstância de escrever
espaços no céu e na água do mar,
o mesmo mar de corpo empanturrado
de gritos de poemas contundentes
e de caminhos em construção.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em #poetar com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixar uma resposta e/ou comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s